ARGENTINA – Cristina Kirchner tenta transformar o próprio julgamento em trunfo na eleição

In Mundo On
- Updated

Na semana passada, ela lançou um livro. No sábado, 18, anunciou que concorreria à vice-presidência da Argentina e enfrentará, nesta terça-feira, 21, seu primeiro julgamento sob acusação de corrupção.

Para o bem ou para o mal, Cristina Fernández de Kirchner, presidente da Argentina entre 2007 e 2015, não deixa de ser protagonista.

A cena política foi abalada no fim de semana com o anúncio de sua candidatura à vice-presidência em uma chapa com seu ex-chefe de gabinete Alberto Fernández como candidato a presidente.

Apenas três dias depois, a hoje senadora volta ao centro das atenções com a primeira de uma longa série de processos judiciais que terá de enfrentar nos próximos meses sob acusações de corrupção e outros crimes.

O julgamento nesta terça-feira especificamente é para o chamado Caso das Obras Públicas, uma associação supostamente ilegal de ministros e funcionários do governo Kirchner que teria desviado fundos de infraestrutura pública para beneficiar empresários como Lázaro Báez, um velho amigo de Kirchner que obteve 51 licitações de obras rodoviárias – e, segundo os promotores, concluiu apenas duas.

Investigadores também apuram uma suposta rede de subornos em torno da alocação dessas estradas.

Embora o julgamento possa demorar até um ano e Kirchner só seja obrigada a comparecer a esta primeira audiência, espera-se que haja manifestações de rua em favor da ex-presidente. Ela terá de se sentar ao lado de antigos aliados, agora em prisão preventiva.

Kirchner, que se livrou de um pedido de prisão preventiva neste caso graças à imunidade parlamentar, nega as acusações e as atribui a uma suposta perseguição política encampada pelo governo de Mauricio Macri, que buscará a reeleição no pleito em outubro deste ano.

A ex-mandatária publicou uma série de tuítes na manhã de terça-feira alegando que o caso é formado de “denúncias requentadas” apresentadas há uma década pelos deputados macristas, e que foram rejeitadas por tribunais provinciais e federais “pela inexistência do crime”.

https://twitter.com/CFKArgentina/status/1130775284515577856

De todo modo, o julgamento terá uma enorme carga política, porque começa ao mesmo tempo que a campanha presidencial para as eleições, na qual a chapa de Kirchner tentará derrotar Macri. Informações da BBC News.

 

You may also read!

É falso que vacina tenha qualquer relação com a AIDS

Após o presidente Jair Bolsonaro compartilhar em live que a vacina contra COVID-19 têm acarretado o desenvolvimento da Síndrome da

Read More...

Cátedra abre 25 vagas para jovem aprendiz em Itabuna

A Cátedra, agência completa de RH para atração, seleção e capacitação de talentos, informa a abertura de 25 vagas

Read More...

Centro do Empreendedor Municipal retoma atendimentos presenciais

Fotos: Otávio Santos/Secom Com o avanço da vacinação, a baixa no número de casos de Covid-19 e a retomada

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu