Mourão afirma que “Ida de Lula ao velório do irmão é questão humanitária”

In Brasil On
- Updated

O presidente em exercício, Hamilton Mourão,afirmou que a liberação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, para ir ao velório do irmão trata-se de uma questão humanitária. Irmão mais velho de Lula, Genival Inácio da Silva, conhecido como Vavá,morreu nesta terça-feira em decorrência de um câncer .

Lula pediu à juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Criminal de Curitiba, para comparecer ao enterro do irmão. A possibilidade de presos deixarem a cadeia em caso de morte de parentes é garantida pelo artigo 120 do Código de Execução Penal.

— É uma questão humanitária. A gente perder um irmão é sempre uma coisa triste, eu já perdi o meu e sei como é que é  disse o presidente.

Questionado se o pedido de Lula para ir ao velório deveria ser atendido, Mourão respondeu:

— Se a Justiça considerar que está ok, não tem problema nenhum— disse.

No final da tarde desta terça-feira a defesa de Lula deu entrada em uma nova petição para que o ex-presidente compareça ao enterro do irmão. A segunda solicitação foi feita porque a juíza pediu para que o Ministério Público se manifestasse sobre o pedido. A defesa argumente que se trata de uma urgência  e que não haveria tempo para esperar um posicionamento dos promotores.

O enterro de Vavá está programado para ocorrer às 13h de quarta-feira no Cemitério Pauliceia, em São Bernardo do Campo. Ex-metalúrgico, ele era funcionário aposentado da prefeitura de São Bernardo, cidade onde viveu por mais de 40 anos na mesma casa. Segundo a família, a prisão do irmão o abalava fortemente e também afetava o sucesso do seu tratamento contra o câncer. Informações e Foto de O GLOBO.

You may also read!

Transporte coletivo intermunicipal é liberado em 303 municípios baianos

Cidades inseridas em macrorregiões de saúde que apresentaram redução na taxa de contaminação e de ocupação de leitos para

Read More...

ELES PASSARAM A BOIADA, E AGORA INVENTARAM OUTRA MENTIRA

Ao lado do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e do deputado estadual (PSL-SP) Frederico D’Ávila, o presidente Jair

Read More...

Justiça Militar ignora congelamento e prevê R$ 2 milhões para novos cargos

A Justiça Militar ignorou o impedimento de contratação de novos servidores, previsto na lei complementar 173, e incluiu a

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu