Bolsonaro afirma que no PGR não pode “atrapalhar o seu governo”

In Bahia On

O presidente Jair Bolsonaro disse que o próximo procurador-geral da República, a ser indicado por ele até sexta-feira (16/8), “não pode atrapalhar a agenda de desenvolvimento do país” e deve saber “tratar as minorias como minorias”. Ao ser questionado sobre o nome de Deltan Dallagnol, coordenador da Lava-Jato no Paraná, para o cargo, respondeu que ainda não foi procurado. “Mande-o me procurar, por que não me procurou até hoje? É muito simples. Todos querem ser procurados. Eu não procurei ninguém. A caneta BIC é minha”, frisou.

Em cerimônia que marcou a duplicação de 47 quilômetros da BR-116, em Pelotas (RS), o presidente afirmou que “as leis têm de ser feitas para maiorias” e destacou que precisa de um PGR que trabalhe pela “família”. Ele também citou o papel do Ministério Público na concessão de licenças ambientais. “Quero um PGR que não apenas combata a corrupção, que entenda a situação do homem do campo, não fique com essa ojeriza ambiental, que não atrapalhe as obras que estão dificultando licenças ambientais, que preserve a família brasileira, que entenda que as leis têm de ser feitas para a maioria e não para as minorias. É isso o que queremos”, frisou. “Que não seja um xiita ambiental”, continuou o presidente, e que “entenda as pessoas de minoria com a importância que têm e não supervalorizadas”.

O subprocurador Augusto Aras — preferido para ocupar o cargo, embora não tenha sido votado pela categoria — se alinhou ao discurso de Bolsonaro. Em entrevista à Folha de S. Paulo, ele declarou que pode ser descrito como alguém com “viés de direita”. “Eu começaria (se for indicado), no plano administrativo, convidando o colega Eitel Santiago de Brito Pereira, que, uma vez aposentado, se candidatou a deputado federal pela Paraíba e, como tal, apoiou o candidato Bolsonaro”, destacou. “É um homem maduro, católico, que, quando havia ainda alguma distinção entre direita e esquerda, poderia ser enquadrado num viés de direita.”

Também na entrevista, Aras criticou a ideologia de gênero, outro alvo de reclamações do presidente. “Eu não posso, como cidadão que conhece a vida, como sexagenário, estudioso, professor, aceitar ideologia de gênero (…). Não cabe para nós admitir artificialidades. Contra a ideologia de gênero é um dos nossos mais importantes valores, da família e da dignidade da pessoa humana.”

As novas afirmações ocorrem após viralizar na internet uma declaração dada por Aras, à TV Câmara, em 2016. Na ocasião, ele disse: “Essa política do medo tem consequências desastrosas, que é o crescimento de toda (…) uma doutrina de direita, uma direita radical”. Eleitores de Bolsonaro usaram a frase como base para pedir que ele não seja indicado a PGR. A atual ocupante do cargo, Raquel Dodge, deixa o posto em 18 de setembro. (RS)

Cocô volta ao assunto

Durante a cerimônia de inauguração da duplicação da BR-116, no Rio Grande do Sul, Jair Bolsonaro voltou a falar de cocô. Ao comentar as dificuldades para obter o licenciamento de obras importantes, ele disparou: “Há anos, um terminal de contêiner no Paraná, se não me engano, não sai do papel porque precisa agora também de um laudo ambiental da Funai. O cara vai lá, se encontrar — já que está na moda — um cocozinho petrificado de um índio, já era. Não pode fazer mais nada ali. Tem de acabar com isso no Brasil”.

You may also read!

Lauro de Freitas sedia etapa do Circuito Brasileiro de Skate Profissional

Atletas de todo o país disputam uma das etapas do Campeonato Brasileiro de Skate Profissional na pista do Ginásio

Read More...

Operação desarticula esquema que sonegou R$ 25 milhões em ICMS

Um mandado de prisão e nove de busca e apreensão estão sendo cumpridos nas primeiras horas desta quinta-feira (22)

Read More...

BRUNO REIS – Salvador planeja seis novas linhas de BRT até 2025

Além da ligação entre a Estação da Lapa e a região da rodoviária, passando pelas avenidas Vasco da Gama,

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu