Ministério da Saúde afirma que lingua inglesa era um dificultador na importação de vacinas

In Política On
- Updated

Documentos enviados à CPI da Covid mostram que, em setembro de 2020, a consultoria jurídica do Ministério da Saúde disse que o fato de a documentação para adesão Consórcio Covax estar em inglês dificultou a análise.

Segundo reportagem da Folha, a pasta alegou que os servidores não tinham “conhecimento suficiente de tal língua estrangeira a ponto de emitir manifestação conclusiva”.

O ministério também disse que o curto espaço de tempo para “apontar todos os riscos e requisitos para tal adesão”. Os documentos chegaram no dia 24 de setembro com prazo de resposta para o dia seguinte.

O consultor afirmou que a adesão estava autorizada pela medidas provisórias editadas pelo governo. Mesmo com o parecer, o Brasil só aderiu ao consórcio em março.

O Ministério da Saúde deveria ter feito uma parceria com Carlos Wizard oferecer aulas de inglês aos servidores.

You may also read!

O Ba-Vi pelo Baianão tem data e horário definidos pela FBF

Nesta quinta-feira (27), A FBF (Federação Bahiana de Futebol) finalizou a programação do duelo entre Vitória e Bahia. Agendada

Read More...

Arsenal coloca Douglas Luiz como novo alvo, diz jornal

O Arsenal está procurando reforçar o seu meio campo, para possuir mais opções na posição para o técnico Mikel

Read More...

Bahia manterá congelamento de ICMS sobre combustíveis por mais 60 dias

A despeito da insistência na disseminação de fake news por parte de representantes políticos que buscam confundir a opinião

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu