Youtube tira do ar canal de Sara Winter

In Brasil On

O YouTube Brasil retirou do ar o canal de Sara Winter após a extremista publicar, no último domingo (16/8), um vídeo informando o nome e o hospital onde estava a menina de 10 anos estuprada pelo tio e que precisou fazer um aborto no Recife. A exposição de menor de idade é crime, conforme a lei.

Após a repercussão do ato da extremista, que foi alvo de críticas, o Ministério Público do Espírito Santo (MPES) entrou com uma ação na Justiça, que determinou que as publicações fossem retirados do ar pelas redes sociais em até 24 horas.

O YouTube informou que “tem políticas rígidas que determinam os conteúdos que podem estar na plataforma” e que encerra qualquer canal que viole repetidamente as regras. “Aplicamos nossas diretrizes de forma consistente e independente de ponto de vista”, afirma a empresa.

O caso
A exposição feita por Sara motivou pessoas favoráveis e contrárias à interrupção da gestação — previsto em lei e autorizado pela Justiça — a se manifestarem na frente do hospital público onde a criança estava internada no domingo.

A instituição de saúde fica no Recife, para onde a garota foi levada depois de médicos do Espírito Santo, onde ela vive, afirmarem não ter condição de realizar o procedimento. A suspeita é que ela engravidou do tio após ser abusada por quatro anos. Ele foi preso na madrugada desta terça-feira (18/8) em Minas Gerais.

Prisão de Sara
Essa não é a primeira vez que as atitudes de Sara nas redes sociais vão parar na Justiça. Ela é investigada no inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre ataques e notícias falsas contra a Corte. Ela chegou a ser presa e teve o Twitter e o Facebook bloqueados em decisões de Alexandre de Moraes.

You may also read!

Transporte coletivo intermunicipal é liberado em 303 municípios baianos

Cidades inseridas em macrorregiões de saúde que apresentaram redução na taxa de contaminação e de ocupação de leitos para

Read More...

ELES PASSARAM A BOIADA, E AGORA INVENTARAM OUTRA MENTIRA

Ao lado do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e do deputado estadual (PSL-SP) Frederico D’Ávila, o presidente Jair

Read More...

Justiça Militar ignora congelamento e prevê R$ 2 milhões para novos cargos

A Justiça Militar ignorou o impedimento de contratação de novos servidores, previsto na lei complementar 173, e incluiu a

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu