Maia contraria “Bancada da Bala”, e diz que porte não pode ser liberado em áreas urbanas

In Política On
- Updated

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) criticou a ideia de se flexibilizar o porte de armas em áreas urbanas. O comentário foi motivado pela barbárie em Suzano, São Paulo, onde 10 crianças morreram e 10 ficaram feridas.

“O porte não deve ser tão liberado assim. O que eu espero é que alguns não comecem a dizer que se os professores estivessem armados ia resolver o problema, pelo amor de Deus”, disse Maia, segundo O Globo.

Informado pelos jornalistas de que o líder do PSL no Senado, Major Olímpio, tinha feito tal afirmação e que o senador Flávio Bolsonaro atribuiu a tragédia a um fracasso do estatuto do Desarmamento, Maia reiterou sua posição.

“Eu não sei, porque estava em reunião até agora. Quem falou, juro que não estava sabendo, peço que essas pessoas pensem um pouquinho nas vítimas dessa tragédia e compreendam que o monopólio da segurança pública é do Estado, não é responsabilidade do cidadão. Se o Estado não está dando segurança, a responsabilidade é dos gestores da segurança pública. Já não basta o debate sobre posse, mas agora um pedido desse que não é posse, é discussão sobre porte em área urbana, aí nós passamos para uma proposta de barbárie no nosso Brasil, que não deve avançar”, afirmou o presidente da Câmara.

Maia destacou que episódios como o de Suzano são raros no Brasil e desejou que isso não volte a acontecer.

You may also read!

Michel Temer é preso em São Paulo

A Força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro prendeu, na manhã desta quinta-feira (21/3), o ex-presidente Michel Temer,

Read More...

Rui Costa visita obras de macrodenagem do Rio Jaguaribe

Mais qualidade de vida para os moradores da região do Bairro da Paz e da Avenida Orlando Gomes, além

Read More...

Programa de resistência às drogas e violência inicia novo ciclo de atividades em unidades de ensino

A Polícia Militar da Bahia retomou as atividades do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd)

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu