Ações do Governo combatem racismo, intolerâncias e violência no Carnaval

In Bahia On

Movimentos sociais e órgãos estaduais atuarão, pelo terceiro ano consecutivo, durante o Carnaval de Salvador para combater o preconceito e orientar foliões e trabalhadores a denunciar crimes de racismo, exploração do trabalho infantil, violência contra a mulher, estupro, intolerância religiosa e violação dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT). Aberto nesta quinta-feira (8), o posto de atendimento funciona na sede da Defesa do Consumidor (Procon-BA), na Avenida Carlos Gomes, centro da capital.

As ações de combate ao racismo serão realizadas pela Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi). Em 2017, o órgão realizou 849 abordagens, por meio da unidade móvel de atendimento, que continuará a executar abordagens nos bairros e nos circuitos em 2018. Este ano, o objetivo é reforçar a importância da denúncia e atrair mais vítimas para o posto.

“Nós estamos com o serviço do Centro de Referência de Combate ao Racismo e Intolerância Religiosa Nelson Mandela, que atuará neste posto fixo,que é um centro integrado, um conjunto de ações com outras secretarias parceiras da rede de combate ao racismo”, explica a secretária Fabya Reis.

O posto que funciona em conjunto com as secretarias estaduais de Políticas Para as Mulheres (SPM) e de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS). A Defensoria e o Ministério Público estaduais também acolherão denúncias no local. “Nós estamos inaugurando aqui o plantão integrado, para justamente ter um espaço de denúncia, não só do racismo, mas também da exploração sexual e do trabalho infantil”, afirma o titular da SJDHDS, Carlos Martins. Segundo ele, “a partir da denúncia, a gente coloca claramente que as pessoas têm que denunciar, todas as medidas são tomadas, de acolhimento às pessoas que sofreram a violência e de punição exemplar para aquele que cometeu”. Por telefone, as denúncias podem ser feitas pelo Disque 100.

Respeita as Minas

A Campanha Respeita as Mina, da SPM, contará também com duas unidades móveis, no bairro de Ondina e na Praça Municipal, para prestar orientações às mulheres e ajudá-las a identificar o que é assédio. Queixas poderão ser prestadas nas Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (Deam), em Brotas e Periperi, e o atendimento médico a casos de estupro poderá ser feito no Hospital da Mulher, no bairro de Roma.

“Além da campanha publicitária com foco no assédio, a gente vai ter uma série de ações nos receptivos da cidade – aeroporto, rodoviária e porto náutico -, e, este ano, nos hotéis, para orientar e estimular, incentivar a denúncia em caso de evidência de violência contra as mulheres e agressões sexuais”, informa a secretária Julieta Palmeira. O posto da Avenida Carlos Gomes funcionará todos os dias da folia, das 14 às 22h. Denúncias e orientações sobre o racismo também poderão ser feitas pelo telefone 71 3117-7448 e da Ouvidoria Geral do Estado (OGE) 0800 284 0011.

You may also read!

Mais um policial militar baleado em Salvador

Um policial militar foi atingido por disparos de arma de fogo na madrugada desta quinta-feira (22), na rua Galiza,

Read More...

Operação conjunta desarticula quadrilha envolvida em assaltos a bancos

Uma grande operação das Polícias Civil, Militar e Federal foi deflagrada na noite desta quarta-feira (21) com o objetivo

Read More...

Nintendo Switch lança segundo jogo brasileiro criado por baiano

Atual, inusitado e divertido jogo de gato e rato, o ‘SpaceCats with Lasers’ é lançado oficialmente para o Nintendo Switch nesta quinta-feira (22), sendo

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu