Criminosos nazistas: a justiça tarda, mas não falha

In Política On
- Updated

Pode parecer que não faz muito sentido um ancião de 94 anos ser condenado por crimes ocorridos há mais de sete décadas. Mas faz. Na sexta-feira, Reinhold Hanning, ex-SS em Auschwitz, foi sentenciado na Alemanha a cinco anos de prisão por colaborar na morte de 170.000 pessoas enquanto serviu no campo de extermínio nazista. A condenação foi possível graças a uma recente mudança na legislação alemã que permite processar qualquer pessoa que tenha trabalhado em um campo de extermínio, sem a necessidade de apresentar provas de um crime concreto. Em outras palavras, a justiça considera algo que parece consenso: ter trabalhado como vigia em Auschwitz, onde foram assassinadas 1,1 milhão de pessoas, é um crime em si.

You may also read!

Transporte coletivo intermunicipal é liberado em 303 municípios baianos

Cidades inseridas em macrorregiões de saúde que apresentaram redução na taxa de contaminação e de ocupação de leitos para

Read More...

ELES PASSARAM A BOIADA, E AGORA INVENTARAM OUTRA MENTIRA

Ao lado do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e do deputado estadual (PSL-SP) Frederico D’Ávila, o presidente Jair

Read More...

Justiça Militar ignora congelamento e prevê R$ 2 milhões para novos cargos

A Justiça Militar ignorou o impedimento de contratação de novos servidores, previsto na lei complementar 173, e incluiu a

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu